Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DIÁRIO 89

Criando memórias desde 1989

11
Dez19

Sal I

Cabo Verde foi o destino escolhido das últimas férias de verão, as quais foram mais cedo que o habitual, mais precisamente no mês de Junho. Não era um país que fizesse parte da minha lista infindável de lugares que sonho conhecer, mas depois de postas as cartas na mesa, ou seja outros destinos e orçamentos, dissemos sim a este país irmão. De entre as dez ilhas que fazem parte de Cabo Verde, a pequena ilha do Sal foi a eleita.
Depois de um voo Porto Lisboa atrasado, e de uma avaria no avião que seguia para Cabo Verde, finalmente chegamos ao Sal já passava da meia noite. Passamos pelas formalidades para entrar no país, recuperamos as nossas malas e saímos do aeroporto. Assim que vimos o autocarro que nos levaria ao hotel, sentimos que deixamos 2019 para trás naquele instante. Um pequeno autocarro de aspeto vintage, com um atrelado para as nossas malas, estava ali pronto a levar-nos para uma nova aventura. A viagem foi breve, entre a escuridão e a calma da noite, não nos deixando nenhuma hipótese de vislumbrar aquilo que nos aguardava nos dias seguintes. Restou-nos largar as malas no chão do bungalow e descansar.
Acordamos no dia seguinte com o brilho do sol, o azul do céu e o verde das palmeiras a entrar janela dentro. Não demorou muito a que saíssemos do quarto, para depois de um pequeno-almoço recheado, irmos descobrir a praia de Santa Maria que estava a poucos metros dali. Deparamos-nos com um mar paradisíaco, de um azul turquesa tão intenso, que penso que seja o tom de água mais bonito que vi até hoje. Não foi preciso muito para mergulharmos no nosso primeiro banho do ano!

Após este primeiro contacto com Cabo Verde, resolvemos por os pés na rua e conhecer a pequena vila de Santa Maria. Além de descobrir, íamos também com a missão de comprar um cartão de telefone, pois já estávamos há mais de um dia incontactáveis, e convinha avisar a família que tudo estava bem. Sim, porque a minha mãe a esta hora já estava a fazer filmes de rapto na cabeça dela!
Pelo caminho fomos abordados imensas vezes pelos típicos vendedores de rua, o que pode se tornar chato quando estamos de férias, confesso. De entre tantos que cruzamos durante a nossa estadia, tentamos sempre privilegiar os vendedores cabo-verdianos, o que é fácil de perceber quais são, não fossem falar português. Digo isto, porque existem muitos vendedores senegaleses. No meio disto tudo, fomos rapidamente bombardeados pelo lema de Cabo Verde, que é nada mais tão simples que "No stress". 
Se inicialmente pensamos que este lema era somente ligado ao facto de estarmos num lugar paradisíaco onde podemos descansar e relaxar, ao longo dos dias fomos compreendendo melhor o significado de viver sem stress por aqui. A primeira situação que nos fez ver, que mais que um lema, é uma forma de vida, foi quando entramos na primeira loja de telecomunicações para comprar então um cartão de telemóvel. Esperamos, esperamos e esperamos. A senhora atendia tranquilamente um cliente, com tantos outros ali à espera. Ficamos ali um bom pedaço de tempo, e eu que até sou paciente, o meu lado stressado acabou por vir ao de cima e desisti daquela loja. Acabamos por encontrar outra loja, compramos o cartão e finalmente pude dizer a minha mãe no stress, estou viva!

O primeiro dia de uma viagem, seja qual destino for, é sempre aquele que nos marca mais, pois é o dia onde finalmente matamos a curiosidade e descobrimos aquilo que ansiávamos desde o momento em que a planeamos. Os nossos olhos fazem-se maiores, e queremos absorver tudo aquilo que nos rodeia. As paisagens, as pessoas, os animais, o viver, a música, a comida, as cores, os odores, os risos, os gestos, os olhares, e tanto mais.
A principal atração de Santa Maria, simples mas repleta de dedicação e tradição, e a que considerei a mais genuína da ilha, é o pontão. O local onde chega o peixe acabado de pescar, onde é tratado e vendido. Um lugar repleto de sons, cores e histórias em cada olhar. Foi aqui que tirei a fotografia preferida desta viagem. Um pai com um olhar terno e protetor sobre o seu filho.

IMG_4166.JPG

IMG_4169.JPG

IMG_4170.JPG

IMG_4211.JPG

IMG_4208.JPG

IMG_4186.JPG

IMG_4215.JPG

IMG_4200.JPG

IMG_20190612_112432.jpg

IMG_4187.JPG

Estas férias foram realmente vividas de forma muito tranquila, talvez as mais tranquilas que fizemos até hoje. Os dias foram maioritariamente passados entre a praia, o pontão e a pequena vila de Santa Maria. Descanso, banhos de sol e mar, boa comida, música e danças cabo-verdianas. Tudo isto repleto de boa energia, desde o ambiente, as pessoas locais que fomos cruzando, e até os muitos gatos que serpenteavam o hotel e os cães errantes nas praias. Mas o Sal apesar de pequeno e com pouco para explorar, ofereceu-nos bem mais do que descanso e relaxamento. Deu-nos a oportunidade de explorar algo que vai para além daquilo que os nossos olhos possam ver, o que partilharei em breve.

"O essencial é invisível aos olhos."
(Antoine de Saint-Exupéry)

6 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

diariooitentaenove@gmail.com