Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DIÁRIO 89

Criando memórias desde 1989

05
Mar17

Alma acordada

Sabemos o quanto receamos algo quando o nosso subconsciente faz questão de o relembrar durante o sono. Quando acordamos de um sonho mau, acordamos com um nó no estômago, e rapidamente somos assombrados com a possibilidade desse sonho se tornar realidade.
Foi assim que começou o meu domingo, acordando de um sonho no qual o meu cão tinha morrido. Inevitavelmente as lágrimas correram no meu rosto assim que acordei, pensando em todos os momentos que passei ao lado deste pequeno de quatro patas, desde os meus doze anos. Inevitavelmente pensei que aquilo que sonhei em breve será real, visto a idade dele. Inevitavelmente o medo tomou conta de mim, o medo de ter sido a última vez que o vi na última vez que me despedi de Portugal.
Pode parecer exagerado toda esta reacção face a um animal, mas eu sempre o considerei como parte integrante do meu lar doce lar. Só espero que as próximas férias cheguem bem rápido para eu voltar a vê-lo e enche-lo de mimo como sempre faço, porque poderá ser a última vez. 

 "Até amarmos um animal, parte da nossa alma permanece adormecida." 
(Anatole France)

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

diariooitentaenove@gmail.com