Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIÁRIO 89

Criando memórias desde 1989

16
Nov19

Daqueles dias

Hoje é daqueles dias que acordo de sorriso no rosto, e ele perdura o dia todo. Daqueles dias, que mesmo que eu odeie trabalhar ao fim de semana, tenho vontade de ir.  Daqueles dias que quero que passe bem rápido, pois sei que algo de bom me espera no final. Daqueles dias que esperamos ansiosamente após cada despedida. Daqueles dias que nos mostram o poder do reencontro. Daqueles dias que os nossos braços se fazem pequenos num abraço. Daqueles dias que o nosso coração se preenche da presença daqueles que amamos.

04
Nov19

Aquele mais

Cuidar de pessoas com idades avançadas, significa numa boa parte das vezes, cuidar de pessoas no fim das suas vidas. Quando por vários motivos, não há cura, tratamento ou melhoria possível, entramos no mundo dos cuidados paliativos, onde o conforto é a palavra chave.
Nem sempre é fácil confortar uma pessoa que para além da dor, sofre com a angústia de estar a morrer. Não trabalhando num serviço que se dedica exclusivamente a cuidados paliativos, ainda menos. Fazemos o nosso melhor com os meios que temos, pelo que não são poucas as vezes que sentimos que poderíamos fazer mais, por alguém que está prestes a despedir-se deste mundo.
Porém há umas semanas, fizemos esse mais. Aquele mais que nos confortou o coração, a nós cuidadores, à família e aquele doente que entretanto partiu. Esse mais, era um pedido bastante simples do filho: uma visita do cão ao seu pai. Num ambiente hospitalar não é o mais indicado, mas depois de ponderar e tomadas as devidas precauções, acabamos por autorizar.
No dia seguinte, estava eu no corredor do serviço, quando vejo um ser diferente por ali. Lá estava o cão no colo do filho do doente, o qual vinha com um sorriso estampado no rosto. Confidenciou que o pai tinha estado mais alerta, comunicativo e tinha sorrido para eles, o que era raro naqueles últimos dias. Quanto ao cão, esse aninhou-se bem junto do dono, tais eram as saudades que tinha e que ficariam para sempre, a partir dali.
Quanto a mim, pensei que se estivesse naquela situação ia desejar o mesmo, não fosse o meu cão ter falecido há dois anos. Nisto, fui invadida de uma sensação de dever cumprido, mas também de uma enorme saudade pelo ser de quatro patas que tanto amei e continuo a amar.

31
Out19

Florença

Itália sempre foi o país pelo qual me senti apaixonada sem ainda o conhecer. Não sei realmente porquê, mas sempre houve algo que me fascinava nele. Como dizem, há amores que não se explicam! Florença era então a cidade com a qual mais sonhava sempre que imaginava Itália, de tal maneira que fazia parte da minha lista de sonhos a concretizar. Não era um sonho assim tão difícil de concretizar, em comparação com outros, mas a verdade é que às vezes há coisas que estão ao nosso alcance que simplesmente deixamos passar ao lado, à espera do melhor momento. E porque não tomar o agora como o melhor momento?
Depois de conhecer Roma há dois anos, Pisa na véspera, e após uma hora de viagem de comboio, finalmente cheguei a Florença no dia dos meus trinta anos. Parti à descoberta de sorriso no rosto, e de coração feliz por ali estar. Saímos da estação, começando pela Piazza Santa Maria Novella, prosseguindo pelas ruas de Florença sem ajuda de mapas. Quantos mais passos dávamos, mais deslumbrados ficávamos.

IMG_3016.JPG

IMG_3010.JPG

IMG_3681.JPG

Chegamos à Piazza della Signoria, uma simpática praça, onde podemos encontrar o Palazzo Vecchio, sede da prefeitura e museu. Imediatamente ao lado do palácio está a Loggia dei Lanzi, um museu ao ar livre com diversas esculturas. Por aqui encontramos-nos com o famoso David, de Michelangelo! Uma das muitas réplicas, visto que a escultura original encontra-se na Galleria dell'Accademia.

IMG_3616.JPG

IMG_3669.JPG

IMG_3795.JPG

IMG_3800.JPG

O Palazzo Vecchio está ligado à Galleria degli Uffizi e ao Palazzo Pitti através do Vasari Corridor. Este era um corredor privado dos Médici, o qual está forrado por pinturas. O palácio Pitti era o antigo lar dos Grandes Duques da Toscana, tendo albergado importantes famílias como por exemplo os Bonaparte.
Florença é sem a menor dúvida, uma cidade repleta de arte e imenso charme. Fomos acolhidos por um tempo tão bom para um mês de Fevereiro, que preferimos apreciar a beleza das ruas e praças, dos edifícios e monumentos, das pontes e do rio, e até da maravilhosa gastronomia. Com isto tudo e dois dias de sol, deixamos completamente de lado os museus.

IMG_3779.JPG

IMG_3788.JPG

IMG_3762.JPG

Já nos questionávamos se Florença não era tão ou mais bonita que Roma, até conhecermos a Piazza del Duomo com o imponente Duomo. Nem de longe as imagens vistas previamente na internet, fazem jus a ver esta catedral gótica ao vivo. Entre os tons de mármore verde, rosa e branco, ficamos colados a olhar para a catedral de Santa Maria del Fiore. Bellissima!

IMG_3848.JPG

IMG_3867.JPG

IMG_3872.JPG

22
Out19

O vestido

IMG_20191017_231342.jpg

O meu vestido de noiva faz parte das melhores recordações que ficaram do nosso casamento. Dou por mim cheia de saudade, quando vejo um casamento em algum filme ou programa de televisão. Fico com vontade de voltar a vesti-lo e sentir-me como naquele dia. Vestida de branco, tule e renda, sentia-me linda por fora mas sobretudo por dentro. Apesar do comprimento do vestido, do saiote, do imenso véu e dos enormes saltos de doze centímetros, sentia-me leve. Leve e imensamente feliz.

10
Set19

Pisa

Em Fevereiro despedi-me dos 29 viajando até Itália, mais precisamente até Pisa. Entre vários destinos ponderados, não pensei que fosse voltar a Itália onde tinha estado há dois anos atrás. Porém, desta vez incluí no roteiro a cidade que sempre sonhei conhecer, Florença! Mas comecemos por Pisa, a cidade que foi o ponto de partida, na qual aterramos na véspera do meu aniversário.

IMG_2981.JPG

IMG_4028.JPG

IMG_4020.JPG

Depois de uma breve viagem de comboio chegamos ao centro da cidade de Pisa, e sem ainda ter visto a emblemática torre, já estávamos encantados com a cidade que é banhada pelo rio Arno. Entramos Pisa adentro, em direção a um dos mais famosos monumentos do mundo. Com bilhetes comprados antecipadamente e hora marcada, não tínhamos tempo a perder.

Assim que chegamos à Piazza del Duomo e começamos a avistar a torre, foi sem dúvida uma surpresa, pois não pensávamos que ela fosse tão bonita e tão original ao vivo. A surpresa continuou assim que entramos dentro, e constatamos por nós mesmos a inclinação que se torna ainda mais evidente ao longo da subida e descida da torre. No topo da Torre de Pisa, fomos brindados com uma vista incrível sobre a cidade.

IMG_20190221_180408.jpg

IMG_20190221_172521.jpg

IMG_20190221_172259.jpg

Depois de andarmos às voltas dentro de uma torre inclinada, decidimos visitar a Catedral de Pisa assim como o Batistério que se encontram no mesmo local, o que infelizmente acabamos por não fazer, porque estavam a encerrar. Posto isto, sobrou-nos tempo para o quê? Para as típicas fotografias ridículas com a famosa torre! É mesmo ridículo a quantidade de gente em poses bizarras, mas ao mesmo tempo é algo absolutamente impossível de não fazer estando lá!

07
Set19

A vida é bela

Antigo lutador de boxe inglês e tailandês, com o seu francês arranhado pelo sotaque sérvio, de físico outrora imponente, cicatrizes os braços cheios, hoje preso a uma cadeira de rodas, trocada por um andarilho nos melhores dias. Esta é mais uma das pessoas que o trabalho me deu a conhecer.
Ele conheceu as maravilhas do mundo, viu a maior riqueza mas também a mais profunda miséria. Foi recebido duas vezes pelo antigo rei da Tailândia, e até teve a sua escola de boxe em Bangkok. Estas e tantas outras histórias partilhadas por um homem de sorrisos e de enorme gentileza.
Um dia ao fim de mais um turno, rodeado por mim e duas colegas, disse-nos o quanto estava feliz por estar ali rodeado de três mulheres bonitas. Prosseguiu contando-nos que nessa tarde, tinha recebido a visita das netas, que são sempre muito amáveis e trazem sempre o sorriso no rosto. Respondi-lhe que não é de admirar, pois o avô também sorri sempre. Ao que ele diz que sim pois "A vida é bela!". Fui apanhada de surpresa pela resposta, o que me aqueceu ainda mais o coração. Tão bonito e tão raro de se ouvir por ali.
A maior parte daqueles que cuido, estão cansados de viver, dizem-me imensas vezes para não envelhecer, para aproveitar enquanto somos jovens. Trabalhar com estas pessoas é sem dúvida uma aprendizagem constante, onde temos de filtrar o fundamental.
Quero um dia ser como este lutador, que conta as suas aventuras com um brilho nos olhos, de felicidade e não de arrependimento. Que apesar do físico mais abatido, braços marcados de feridas saradas, transparece um coração de bondade imensa. Que o sorriso é tão grande que explode pelos olhos. E que acima de tudo, continua a amar a vida.

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

diariooitentaenove@gmail.com